Mostrando postagens com marcador featuring. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador featuring. Mostrar todas as postagens

1 de março de 2017

Coisas portuguesas



Aqui estamos de volta para mais um guest post do autor do Escritalhada...

Portugal, o país onde se vive de tradições e fixações que se entranham até ao tutano. É aquele pais onde os seus habitantes (maior parte) só quer ouvir música popular ideal para torturas. A sério, os Americanos podiam aproveitá-las para pôr durante horas nas celas dos inimigos da Segurança Nacional, teriam revelações garantidas. Podem ir ao Youtube.

E o futebol, esse rei das discussões de café às picardias entre colegas de trabalho, aquele desporto que tira umas horas de vida de insanidade e tempo de antena, qual fosse o único desporto à face da Terra. Só se quer saber dos protagonistas, das intrigas pela primeira liga. Cada um quer ter razão em relação à arbitragem, da qual prejudica o seu clube e beneficia os rivais mas o que interessa é que tudo corra de feição. Estamos a falar do país que parou uns dias por ter ganho o Europeu.

Não vamos esquecer da religião, da Católica é melhor, porque parece que não há outra num país completamente tolerante religioso. O que mais interessa é Fátima e as Aparições e claro, lucrar com isso, até porque o mais importante é o lucro do que a fé. É aquele país onde os bispos são tão importantes que podem opinar o que quiserem na TV.

Herdámos dos brasileiros o hábito das novelas, a companhia perfeita para senhoras reformadas à noite para viverem “histórias” enfadonhas de centenas de episódios inusitados.

Há tanto para absorver deste país, mas só viver uns meses e vocês brasileiros não queriam outra coisa além do ar tuga. Somos um povo estranho é certo mas não há nada como este paraíso à beira mar plantado.

Como adoro este país... The Best!!


PS: Não se esqueçam de ver o novo guest post da Ana aqui


28 de janeiro de 2017

Escritalhada

Antes de mais nada, as introduções: Miguel Oliveira. Prazer meus caros leitores e Escritalhada (https://area-escritalhada.blogspot.com.br/) é o meu blog.

É muito difícil começar. Todos nós viemos de algum lado. Nascemos, crescemos, começamos de novo a viver em algumas etapas durante a vida.

Construir relações, terminá-las e começar novas.

Escolarmente falando, todos os anos iniciamos um novo ano cheio de desafios até vir a Universidade que complica tudo a cada semestre.

A própria vida não passa senão de um tiro no escuro, pois para ter sucesso em seja o que for, temos de começar em sair da zona de conforto e trabalhar os dias que forem precisos para que funcione. Podemos estar a falar na criação de uma empresa com as nossas próprias mãos.

Há sempre uma primeira vez para tudo. Falando nas relações afetivas, o primeiro beijo, o primeiro inocente e inexperiente namoro, lá para a frente a incerteza do casamento e o desafio do primeiro filho.

Quem fala em ter filhos, fala em escrever e publicar o primeiro livro, pois é um produto vindo de dentro da nossa pessoa.

A vida é feita de começos e todos os dias há algo diferente, esperando que algo se crie.
E assim acabei a primeira leva de “guests posts” neste blog! Foi um começo difícil…

Miguel Oliveira

********************************************************************************************************
Essa postagem, como já mencionado no início, resulta da parceria à la Guest post com o digníssimo blogueiro portuga Miguel Oliveira do blog Escritalhada (daí a temática e nome do post), ao qual eu vos convoco a visitar por ter postagem de minha autoria com o nome deste finíssimo e ilustríssimo blog. Vai lá: https://area-escritalhada.blogspot.com.br/

16 de julho de 2016

POSTAGEM NÚMERO 200!

KEEP CALM ESSE É O POST N. 200!

Muito obrigada a todos e a todas que acompanham meu blog!

Depois de oito anos de blog (sim, esse blog é dos tempos medievais da internet), 33.555 visitas, 500 comentários, ter 313 seguidores, depois de abandonar e voltar várias vezes para esse espaço virtual, depois de apagar centenas de milhares de postagens antigas por impulso, por me arrepender e achar que a internet não merecia aquilo (que poderia ter sido bom), finalmente eu me disciplinei e cheguei à minha ducentésima postagem - com muito fôlego!

E para comemorar, seguindo o estilo da minha centésima postagem, eu vou revelar 20 fatos sobre mim (porque 200 é muito), em postagem futura.

Novamente agradeço a todos os meus amigos da blogsfera que têm me acompanhado e lá vamos nós rumo a 1.000!

21 de maio de 2012

Mau humor


Não importa se eu não dormi direito, se eu não me alimentei bem, se a vida particular está um caos, se o dólar está alto, se a educação é uma farsa, se metade do mundo é depressivo; o sistema vai continuar cobrando. Ahh, que se dane. Danem-se todas essas pessoas, a economia e a hipocrisia. Se eu pudesse eu arranjava uma bomba biológica que desse um final à humanidade, com a ilustre exceção da minha preciosa pessoa. É. Agora que você leu isso, volta pra sua vidinha perfeita, vai.

19 de fevereiro de 2012

A droga do carnaval

Panis et circenses - Capítulo II: Dorgas, Jesus e luz vermelha


featuring: Ogroland
http://ogroland.blogspot.com/


Um dia lindo de sol e calor. Além de domingo é feriado, o que devia ser proibido, já que é um absurdo desperdiçar feriado com domingo. E esse feriado tem origens de difícil compreensão, esse tal de carnaval é muito estranho. Quem diz que não gosta de carnaval logo tem algum dedo apontado em sua direção, em reprovação, com insinuações irritantes de que “não sabe curtir a vida”. Ora, meus caros, curtir a vida é relativo. Cada um gosta de uma coisa... quem não faz o que você gosta não sabe curtir a vida? Esperava mais de sua parte.

Dizem pessoas mais vividas que eu que antigamente esse evento brasileiro denominado Carnaval era aromatizado à lança perfumes, que parece ser uma espécie de alucinógeno aromático; um belo dia o legislador viu que tava dando merda e resolveu proibir, como se amenizasse os mórbidos efeitos do período de pão e circo. Historicamente, o carnaval é um período de festa para se preparar para os sacrifícios que nos aguardam na quaresma. Aí fica mais esquisita a coisa. Sacrifício da quaresma? Sacrifício onde, meldels ducel?

O que se vê no carnaval é apenas uma festa mais intensa e extensa do que as outras do resto do ano. E como há excessos, nesses dias de folia o risco de morte cresce drasticamente. As mesmas almas que serão plantadas nas sepulturas com seus corpos hoje serão colhidas daqui a nove meses. Põe na conta de alguns instantes alucinados. Sexo e drogas, e por favor, volta rock''n''roll.

Dizem os antigos, que em tempos passados, esse evento nacional, o Carnaval era aromatizado sem o uso do Bom Ar, mas com muito lança perfumes que parece ser uma espécie de alucinógeno. Um belo dia O Legislador viu que tava dando merda e resolveu proibir, como se amenizasse os mórbidos efeitos do período de pão e circo.

Wow, mas o álcool ainda rega a parafernália. Aliás, sabia que houve um tempo em que o álcool era ilegal? Muitos séculos atrás era considerado uma droga hedionda consumido às escondidas, pela nobreza e pela plebe... E um dia a indústria falou mais alto que a moral, e que se jorre álcool pra todo lado. Alguém tem dúvida do efeito devastador que a bebelança provoca nas pessoas? Sendo Carnaval ou não, quantas tragédias já começaram com uma simples cervejinha ou uma inocente pinguinha para esquentar o peito?

 Não adianta tentar tampar o sol com o copo de cerveja! O álcool é um tipo de droga, a polêmica maconha o é; o café que você toma todo dia, a acetona com que você remove o esmalte, o chimarrão dos gaúchos, até a coca cola, tudo isso é droga, só que legalizada; a diferença é modo com que a sociedade encara cada substância. A maconha, que segundo os adeptos é relaxante, é proibida, enquanto determinados chás alucinógenos que já geraram muita dor de cabeça são legalmente consumidos em rituais religiosos. 

Mas o carnaval ainda tá de pé, temos segunda e terça pela frente. E não tenham esperança, não adoradores da festa, ano que vem tem mais. Vamos mais uma vez parecer uma versão genérica de Sodoma e Gomorra aos olhos do mundo inteiro, ano após ano. Que não é só de hoje e não é só no Brazil eu bem sei; várias outras nações tiveram e tem sua sorte de festinha na luz vermelha; mas a nossa, compatriotas, chegou além da depravação. Uma depravação permitida por lei, financiada pela indústria, pelo dinheiro dos contribuintes e perdoada por Jesus no resto do ano. Ah não... que desânimo. E para não dizer que não vemos nada de positivo no Carnaval, vamos enaltecer um ponto: o feriado é bom demais.

Bom feriado e juízo.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...