Mostrando postagens com marcador Idiomas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Idiomas. Mostrar todas as postagens

28 de janeiro de 2017

Escritalhada

Antes de mais nada, as introduções: Miguel Oliveira. Prazer meus caros leitores e Escritalhada (https://area-escritalhada.blogspot.com.br/) é o meu blog.

É muito difícil começar. Todos nós viemos de algum lado. Nascemos, crescemos, começamos de novo a viver em algumas etapas durante a vida.

Construir relações, terminá-las e começar novas.

Escolarmente falando, todos os anos iniciamos um novo ano cheio de desafios até vir a Universidade que complica tudo a cada semestre.

A própria vida não passa senão de um tiro no escuro, pois para ter sucesso em seja o que for, temos de começar em sair da zona de conforto e trabalhar os dias que forem precisos para que funcione. Podemos estar a falar na criação de uma empresa com as nossas próprias mãos.

Há sempre uma primeira vez para tudo. Falando nas relações afetivas, o primeiro beijo, o primeiro inocente e inexperiente namoro, lá para a frente a incerteza do casamento e o desafio do primeiro filho.

Quem fala em ter filhos, fala em escrever e publicar o primeiro livro, pois é um produto vindo de dentro da nossa pessoa.

A vida é feita de começos e todos os dias há algo diferente, esperando que algo se crie.
E assim acabei a primeira leva de “guests posts” neste blog! Foi um começo difícil…

Miguel Oliveira

********************************************************************************************************
Essa postagem, como já mencionado no início, resulta da parceria à la Guest post com o digníssimo blogueiro portuga Miguel Oliveira do blog Escritalhada (daí a temática e nome do post), ao qual eu vos convoco a visitar por ter postagem de minha autoria com o nome deste finíssimo e ilustríssimo blog. Vai lá: https://area-escritalhada.blogspot.com.br/

5 de maio de 2016

Poliglotia

Um dia eu achei isso lindo; achava que se eu fosse poliglota eu seria como aqueles sábios eremitas dos livros que conhecendo meia dúzia de idiomas fluentemente previriam o futuro da humanidade. Mas não, não é assim. O que ocorre é que você tem que manter mais de um idioma vivo, muito bem vivo ali na sua cabeça. E não é só um idioma: é toda uma estrutura linguística com as suas construções específicas, é um idioma com um respaldo cultural que envolve contextos por vezes diferentes do seu, são fonemas completamente diferentes do que você está habituada, é tudo, ou muita coisa, diferente, e aí você tem que manter esse pequeno universo idiomático em movimento dentro da sua cabeça, ou, pior ainda, manter mais de um universo desses aceso e funcionando em diferentes lados do seu cérebro. Me sinto infinitamente feliz por ser ainda jovem e sã, porque imagina só como seria se eu tivesse uns parafusos fora do lugar e tivesse, ainda, que lidar com toda essa muvuca de idiomas aqui na minha massa cinzenta? Às vezes eu tô de boa lendo um livro em inglês e aí chega alguém falando em português e eu fico like: Oh, god! Portuguese? I forgot portuguese! Ou então, depois de sair de manhã de uma prova ultra difícil de francês, aparece um gringo na rua e empieza a hablar español conmigo y moi, je ne comprend pas rien! Há ocasiões em que isso acontece com tanta frequência - sim, caras pessoas da internet, eu moro numa verdadeira torre de Babel em forma de cidade turística -, com tanta frequência que eu chego a ficar com dor de cabeça e me dá um branco generalizado, e o meu cérebro esquece a estrutura de todas as palavras e eu fico simplesmente revendo nos meus pensamentos a impressão de sentimentos e sensações, sem poder exteriorizar nada de forma concreta. Nessa minha loucura obstinada por idiomas - obstinação da minha parte, porque tem gente que eu sei que conhece bem mais idiomas que eu e não faz essa confusão toda - eu ainda tenho uns outros idiomas que eu quero aprender, mas esses eu deixo para um futuro indeterminado, um futuro em que eu, quem sabe, consiga delimitar cada um deles com precisão aqui na minha cabeça, como se fosse uma biblioteca ou estante.

9 de abril de 2016

10 dicas para aprender um novo idioma


Pois bem, estimadas pessoas da blogsfera. Acho que depois de aprender o inglês, espanhol e o francês (e querendo aprender outros idiomas num futuro breve), seria bom repassar algumas técnicas de aprendizagem essenciais para os idiomas. Lá vão:

1 - Música

Essa dica é bom para começar. Quando você ainda não está adaptado aos fonemas do novo idioma, quando tudo ainda parece uma fala enrolada e sem sentido para você, o ideal é você encontrar cantores ou bandas do estilo que você goste. Claro que cada um tem o seu estilo, mas o ideal é que você busque músicos que sigam um estilo mais pop, porque estilos muito diferenciados podem conturbar a pronúncia ao cantar (como o caso do rap) e você não aproveita nada.

Dica de música para quem está aprendendo espanhol: Henrique Iglesias - Bailando.

2 - Leitura (básica)

Outra dica essencial para quem está começando, principalmente se quiser se familiarizar mais com termos novos e não ter tanta dificuldade com a gramática, é ler. Mas se você for iniciante no inglês, por exemplo, não vá direto ler o Drácula numa edição de 1915. Vá com calma: Comece com artigos na internet, notícias, contos infantis ou adaptados para iniciantes. A leitura é excelente ferramenta mas se você não começar com a leitura certa você dificilmente fará progresso.

Dica de leitura básica para quem está aprendendo inglês: Brothers' Grimms Tales.

3 - Assistir vídeos ou documentários

O YouTube, ao meu ver, pode ser uma ferramente muito útil para quem quer aprender um novo idioma - não apenas ouvindo música, como na dica anterior. Se você já tem uma base do idioma, é interessante que você comece a assistir vídeos no YouTube - daí vai do seu gosto, também: animes, tutoriais, vídeos sobre séries, vídeos de opinião, política, et cetera. Essa dica é boa para quem está iniciando no nível intermediário e precisa começar a inserir o seu crescente vocabulário em um contexto cultural, e os vídeos são bons porque geralmente são curtos e trazem as questões quotidianas de pessoas nativas daquele idioma, bem como diferentes pronúncias e expressões.

Dica de canal no YouTube para quem está aprendendo francês: La Tribu (Aufemininlatribu).

4 - Escrever

Outra dica voltada para quem está começando no nível intermediário é escrever. Se você estuda por conta própria, busca comunidades de troca de conhecimento linguístico (à exemplo do Busuu) e peça para algum nativo voluntário do idioma que você está aprendendo corrigir algum pequeno texto escrito por você. Ou então, se você frequenta algum curso, peça para o seu professor realizar atividades de escrita. 

A escrita é muito importante para você conseguir raciocinar no seu novo idioma, bem como para aplicar a gramática corretamente (alguns cursos focam muito a gramática, por isso, nesses casos, eu acredito que a escrita deve ser reforçada).

5 - Conversar com os colegas ou outras pessoas

Essa dica é mais voltada para quem está no nível intermediário já se encaminhando para o avançado. A regra é simples: Converse! Combine com os seus amigos do curso de irem pro bar e se permitirem conversar entre si apenas no idioma que vocês estão estudando (se vocês ficarem bêbados isso vai ser bem louco!). Ou então encontre fóruns de idiomas - também indico o Busuu aqui - onde existam pessoas dispostas a conversar no idioma que estão aprendendo por intermédio de uma câmera. Devo ressaltar que é mais importante conversar falando do que trocando mensagens, pois assim você melhora a sua pronúncia.

6 - Leitura (avançada)

A verdade é que eu recomendo a leitura em qualquer idioma, esteja a pessoa aprendendo ou não. Agora, se você já está se encaminhando para o nível avançado do idioma, então, pessoa, é hora de começar a encarar umas leituras mais extensas e considerar fazer uma imersão total no idioma. Infelizmente os livros em formato digital em idiomas estrangeiros não são de disponibilidade tão grande quanto os livros em português, mas de qualquer forma existem milhares de livros sendo esquecidos pelos gringos nos aeroportos e hotéis de toda a nossa pátria amada; vale a pena buscar.

7 - Assistir filmes (sem legenda)

Também para quem já está no nível avançado e já experimentou as dicas anteriores. Obviamente, a dica é assistir filmes estrangeiros, no idioma que você está aprendendo, sem legenda e sem dublagem. Os filmes seguem a mesma função dos vídeos, com a diferença é que geralmente serão mais complexos. Se você gosta de séries a dica é válida nas mesmas condições.

8 - Viajar

Essa é a melhor dica de todas: Além de você ter uma oportunidade inédita de aprimorar o seu idioma estrangeiro, vai poder se divertir a beça e conhecer uma nova cultura de perto. Claro, requer um investimento financeiro que pode ser voluptuoso, mas vale a pena um planejamento a longo prazo nesse caso - e para quem está aprendendo espanhol lembre-se que temos muitos vizinhos aqui na América Latina que oferecem um turismo a menor custo.

9 - Estudar gramática

Essa dica eu recomendo só em último caso; só se você tiver real paixão pelo idioma e/ou tiver que encarar um DALF ou TOIC da vida, ou mesmo provas de ingresso em nível superior que exijam língua estrangeira. Vai ser o caso de você buscar uma escola de idiomas com um curso voltado para a gramática, ou de encarar uns livros cheios de regras de gramática. Mas se você não tiver estudando idioma por uma razão estritamente acadêmica, acho que pode pular essa dica.

10 - Praticar

Agora você vai fazer uma junção de tudo e aplicar; afinal, nada melhor do que por em prática lendo, ouvindo música, estudando ou conversando - e sobretudo, se divertindo e expandindo seu conhecimento!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...