22 de janeiro de 2016

Viajar


A estrada é longa e solitária.
O destino é promissor.

De qualquer forma, talvez seja tudo o que preciso agora.

15 de janeiro de 2016

Senso crítico e racionalidade


Dica do dia:

Não se deixe levar por crenças; permita-se apenas convencer por fatos e evidências devidamente verificadas.

8 de janeiro de 2016

Eu Odeio Gente (Resenha)

Odeio Gente ! - Livre-se Dos Idiotas do Local de Trabalho e Faça de Seu Emprego...Algo inédito na história desse blog: trago duas resenhas de livros seguidas para vocês, estimadas e estimados blogueiros.



A resenha anterior se tratava de um livro que ensinava um caminho para que a pessoa se livre das próprias barreiras cognitivas e intelectuais e mesmo das barreiras que a sociedade nos impõe rumo à superação e ao sucesso.

A resenha de hoje também vai por esse caminho, mas com um toque a mais de malícia.

Eu odeio gente! (originalmente I hate people!) dos autores norte-americanos Jonathan Littman e Marc Hershon não é necessariamente - apesar do que o título pode sugerir - um guia da misantropia desenfreada ou do ódio cego à humanidade. Na verdade, a obra tem o intuito de ensinar o leitor a lidar com os empecilhos que normalmente surgem no convívio do ambiente de trabalho; mais especificamente, pode-se dizer que é um manual de sobrevivência em ambiente corporativo.

Para tanto, os autores esclarecem que os desgastes do convívio cotidiano com colegas de trabalho podem trazer à carreira de alguém que tenha o mínimo de vontade de ascender profissionalmente podem ser muito, mas muito prejudiciais à carreira - desde ganhar má-fama decorrente de fofocas até o isolamento completo, ou mesmo uma demissão injusta ou não reconhecimento profissional.

Assim, os autores ilustram alegoricamente os típicos perfis de pessoas com quem lidamos cotidianamente no trabalho - o puxa-saco, o negativo, o invejoso, entre outros - ensinando como identificá-los, como evitar atrito e, por vezes, como confrontá-los - isso tudo sem comprometer o convívio e a própria carreira.

É uma obra muito perspicaz que, ao meu ver, é indicado não apenas para quem quer evitar atrito no ambiente de trabalho (embora seja esse o enfoque) como também em qualquer coisa que envolva amplo relacionamento humano. Como a própria contracapa diz, ao ler esse livro "esqueça tudo o que você ouviu falar sobre convivência no mundo corporativo".

5 de janeiro de 2016

Como Vencer Quando Você Não É o Favorito (Resenha)

A obra "Como vencer quando você não é o favorito" é um livro do gênero autoajuda da autoria de Rubens Teixeira. Com um vocabulário simples e acessível, o autor nos convida a rever os nossos pontos fortes e fracos e a superar barreiras que, geralmente, nós mesmos nos colocamos. Justamente como sugere o título, a ideia do livro é estimular as pessoas que não são tão favorecidas em aspectos financeiros e/ou sociais a superar as barreiras que a sociedade lhes impõe rumo ao sucesso, ao demonstrar que as dificuldades não são tão invencíveis quanto nos parecem e sim são contornáveis mediante o esforço individual. Assim, o autor indica sete "passos" pelos quais a pessoa deve percorrer para dar o melhor de si e alcançar seus objetivos: dedicação, bons relacionamentos, otimismo, perfeição, credibilidade, estratégia e administração dos resultados. Por vezes o autor é enfático nas suas recomendações - o que o faz parecer repetitivo, e um ponto negativo são os diversos apelos emocionais e religiosos que por vezes são totalmente desconexos com o contexto. De um modo geral, pode-se dizer que é uma obra de leitura rápida e fácil e indicavel para quem busca um estímulo a mais na sua carreira.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...